Simule e contrate
​Ismael Rodrigues trabalhava como administrador e comprador no escritório do então CINE HOTEL MOGI MIRIM LTDA. Foi através desse trabalho que conheceu Gabriel Fávero Gervásio, gerente da regional-campinas, da Cia de Seguros Minas Brasil. Foi numa visita à cidade juntamente com José Jorge da Siveira Cintra, repressentante (corretor) da seguradora em Mogi Mirim que Ismael foi apresentado a Gervásio.

Depois de desempenhar as duas funções por alguns anos, acabou optando pelo seguro e foi ser funcionário da Minas Brasil, como inspetor Seccional em Mogi e demais cidadess da micro-região. Após alguns anos nessa função, foi convidado para gerenciar o escritório regional de Campinas. Depois de fazer vários cursos de vendas morando em campinas, recebeu convite da diretoria da empresa, sediada em Belo Horizonte, para desempenhar o cargo de Assistente de Gerente Geral em São Paulo.

"Devo uma grande parte dos meus conhecimentos profissionais a essa quase centenária empresa do ramo de seguros no Brasil", revela Ismael.
Em 1983, Ismael deixou a Minas Brasil para montar a própria corretora e de lá para cá não parou mais. O nome da empresa JOWAL surgiu da junção do nome José Ismael Rodeigues e de Waldomiro José Antunes, que foi quem emprestou a documentação exigida na época pela Susep e Sincor.
O primeiro endereço da Jowal foi na rua senador José Bonifácio, depois mudou para a Voluntário Chiquito Venâncio, Dr. Ulhôa Cintra e Marciliano, próximo à prefeitura. Há cinco anos adquirimos a nossa própria sede, à rua Marciliano,593.
A jowal Corretora de seguros completou, em fevereiro, 28 anos de atuação no segmento. Mas a comemoração não é apenas pela bodas de prata da empresa. É o que o proprietário e responsável tecnicamente pela corretora, José Ismael Rodeigues, orgulha-se em ser um dos corretores mais antigos da região, com 40 anos de experiência no ramo de seguros.
 Localizada na rua Marciliano, 953, Centro, a Jowal Corretora de Seguros trabalha e representa as melhores seguradoras no mercado e foi através dela que a Porto Seguro, uma das maioress do país, veio a se instalar em Mogi Mirim.

 Para conduzir a Jowal, Ismael Rodrigues recebe ajuda dos filhos Rodrigo (Corretor habilitado e atual gerente) Raquel Moraes Rodrigues e da nora, Ana Paula Cavenaghi Rodrigues.
"É um orgulho ter uma corretora familiar. O mesmo tratamento é dado aos nossos funcionários. Prova disso é que temos dois funcionários que estão conosco há 25 e 14 anos", resssalta Ismael.
Outro orgulho do proprietário da Jowal é servir várias gerações da mesma família."É o corretor quem vai responder pelo cliente junto à seguradora. Por isso, preza o profissional, a relação de confiança que existe de cliente-corretora como, também, entre seguradora-corretor e vice-versa", Justifica. "A confiança tem que existir, pois trabalhamos com valores, com vidas humandas, emfim com patrimônios", acrescenta Ismael Rodrigues.

Na Jowal o trabalho é realizado por telefone, fax, correrio, e-mail, o que , segundo o proprietário, demonsta "o grau de respeito e confiança que existe entre nós, corretores e clientes (segurados)". "São apólices renovadas, novos orçamentos. Temos segurados que estão conosco há mais de 30 anos. Hoje temos negócios com os filhos e netos de antigos clientes", detalha.
O carro-chefe é a carteira de automóveis seguido do seguro ressidencial, empresarial, seguro de vida e agrícola. O segredo para se manter firme no mercado até hoje, Ismael Rodrigues credita à perseverança e honestidade.
 "O segmento é controverso, como em qualquer profissão, existem os bons, e os maus profissionais. Na Jowal procuramos trabalhar com muita clareza e transparência. Mesmo assim, é difícil atender a todos cem por cento", comenta. "Para fechar um negócio torna-se necessário, profissionalismo com muito conhecimento técnico".

​Os quase 40 anos de atuação no segmento proporcionou a Ismael Rodrigues acompanhar a evolução do setor. Alterações no mercado brasileiro, econômica e políticamente foram fatores que passou grandes dificuldades.
As maiores mudanças no segmento foram a compra de pequenas seguradoras pelas grandes - a chamada globalização do mercado e a transferência das responsabilidades para os corretores - parte imprescindivel em qualquer contrato de seguros.

"Em 1983, eu mesmo realizava as vistorias, preenchia o formulário (proposta) à máquina, mandava pelo correio a São Paulo e só depois de muitos dias recebia a apólice", lembra Ismael. "Hoje está tudo num único disquete que é atualizado uma vez ao mês". "Naquela época não existia computador, era apenas máquina de escrever manual, a escrivaninha e telefone", desabafa Ismael."Hoje, é bem mais dinâmico e rápido", compara.

fonte: ACCIM / Abril de 2008